Estudantes de Irece ficam indignados ao serem obrigados pela prefeitura a sairem da casa dos estudantes


O vereador Léo da Unibel concedeu entrevista ao Jornal do Meio Dia apresentado pelo radialista Jota Sidney na radio Lider Fm , na cidade de Irecê no interior do estado. Durante entrevista dentre os muitos assuntos abordados, o vereador levou a publico a situação dos estudantes. Segundo o vereador Leo da Unibel, o atual prefeito da cidade de Irecê tem o interesse de fechar as casas dos estudantes Ireceenses nas cidades de Salvador, Feira de Santana e Campina Grande, e falou da profunda indignação e angustia pelos estudantes que foram pegos de surpresa com o avido que deveriam mudar da casa urgentemente.
O vereador informou que os estudantes que alguns estudantes optaram por permanecer na casa ao invés da bolsa oferecida pelo programa Pormae. Porém estes alunos sentem-se menosprezados e atingidos nos seus direitos. Desrespeitados nos seus interesses. Segundo o vereador e com confirmação do presidente da associação dos estudantes de Irece na casa de estudantes em Salvador. Os estudantes não foram informados sobre o dia em que deveriam sair da casa, eles ficaram sabendo através dos proprietários do imóvel que repassaram a informação aos estudantes.
Sendo assim os estudantes dizem não ter tempo hábil para todo um processo de organização e planejamento para realizar a mudança para novo endereço, que também segundo informações alguns alunos nem sabiam qual o novo endereço.

 Salvador 
Conversando com o presidente da associação de estudantes da casa dos estudantes em Salvador, ele disse que tentou dialogar de diversas maneiras e deu sugestões para que fosse mantida a atual casa dos estudantes no bairro do Rio Vermelho confira entrevista a baixo:



Campina Grande
Buscando informações com estudantes da casa dos estudantes de Irecê, confirmamos através de conversa com estudante da casa que também foram notificados muito em cima da hora sobre a necessidade da saída da casa. Eram oito estudantes que após a proposta de valores para sair da casa através do Promae seis alunos aceitaram a proposta ficando apenas dois residentes. Um cadastrado e outro que estava residindo até se encaixar no programa.
Mesmo sem pretensão de sair da casa e já próximo ao final do período na faculdade, foi obrigado a sair pois segundo o estudante ele fora informado pelo senhor Eduardo que chegou para cancelar o contrato e que o estudante tem até este dia 10 de agosto para já está em outro local.  O estudante relatou que com o valor de 300 reais é muito pouco para conseguir sobreviver na cidade de Campina Grande.

Feira de Santana
Quanto aos estudantes da casa do estudante de Feira de Santana, não conseguimos obter contato.    Porém algo que ficou perceptível é que alguns alunos nas três cidades deram a entender que preferem não se manifestar sobre o assunto, sobre o risco de desagradar pessoas da atual gestão e passar por transtornos futuramente.

resposta da gestão municipal  
A gestão municipal alegou atarvés Eduardo Almeida Gerente de beneficios e programa sociais,  que a partir do momento que diminuírem a quantidade de alunos na casa dos estudantes, fica inviável manter o funcionamento, e sendo assim preferem fechar a casa ou transferir os alunos para outra residência menor e com custos mais adequados. Questionados se o programa Promae irá privilegiar novos alunos, nos foi respondido que não pois segundo o mesmo a casa dos estudantes promove uma sangria que impede novos investimentos ou ampliação de beneficiados. Tratando sobre a pressão e o exíguo tempo para a transferência de alunos para outro endereço, ou exigência de saída dos alunos, a gestão informou que fez reunião e não pode fazer nada a não ser tentar pedir aos proprietários dos imóveis um pouco mais de paciência mais sem garantias de sucesso.
Estudantes

A maioria dos estudantes dentro do universo que foi questionado não aceitam a forma de condução por parte da prefeitura de Irecê, que primeiramente só deveria rescindir os contratos depois de dialogar e encontrar soluções para cada estudante que se viu desorientado e diante de uma situação difícil, tendo que procurar em tempo recorde por um novo local para morar e dentro do valor disponível de 300,00 reais e sem saber oque fazer para despesas de alimentação e outras mais.
A maioria dos estudantes também mencionou a importância de está em comunidade, ligados por sentimentos de acolhimento, pertencimento a mesma região natal, de unidos por objetivos comuns e fortalecidos pela presença de alguém que se reconhece no outro. Assim , como existem as comunidades nordestinas,  bairros japonês, bairros de cearenses, pernambucanos, paraibanos, de brasileiros em outros países e assim por diante. A importância da casa do estudante vai mais além que benesses econômicas, existem também a confiança, proteção e cumplicidade. Uma grande família formada de diversas famílias que se ajudam mutuamente.
Muitos agora sentem a dificuldade de sobreviver com R$ 300,00 reais e a pequena ajuda dos pais , que nem sempre possuem condições de enviar ajuda financeira, muitos tendo que conviver com pessoas desconhecidas e sem referencia de família ou passado em comum. Outros que ainda resistem em permanecer nas casas temem sofrer pressões futuras, como atrasos de pagamentos, ou outras formas que tenham o objetivo de faze-los desistir de continuar na casa, forçando a aceitarem o promae recebendo o valor de R$ 300,00 reais e tendo que contar com a sorte.
Confira entrevistas: 


Leo da Unibel em entrevista ao jornal do meio dia 




Entrevista com presidente da associação dos estudantes


Reações: 
O que você achou dessa notícia?

Publicações recentes

Reportagens recentes:

Deixe um comentário

Líder Notícias - O seu canal de informação! © 2013 - 2018 | Desenvolvido por Junior Pacheco