AO VIVO

Motoristas temem aumento de pelo menos 20% com placas do Mercosul

Sempre que chega à loja de emplacamentos onde trabalha há 35 anos, na Avenida Antônio Carlos Magalhães, Edson Lima, 55, checa o portal do Departamento Estadual de Trânsito da Bahia (Detran). Nunca encontra o que busca: informações sobre quais serão os custos adicionais com a nova placa Mercosul, obrigatória para todos os veículos do estado a partir do dia 1º de dezembro. “Hoje mesmo olhei e não achei nada”, diz o proprietário do negócio, ao apontar a página aberta do site no computador. Os comerciantes, despachantes e estampadores de placas acreditam num acréscimo de, pelo menos, R$ 40 no preço final do produto.

A troca será obrigatória, primeiramente, para veículos novos e em caso de troca de domicílio de registro. O Rio de Janeiro, primeiro estado a adotar o novo modelo, enfrenta problemas, como impossibilidade de usar aplicativos de estacionamento com a nova placa e impedimento de que esses carros sejam multados por órgãos de trânsito.
Enquanto isso, na Bahia, a dúvida começa pelo básico: como fazer. O que se sabe é que algumas características diferenciam a nova da placa atual, cujo preço médio é de R$ 215: a cor mudará de cinza para branco e azul, haverá quatro letras e três números, e um QR CODE e uma marca d’água serão usadas para dificultar falsificação. Não que seja contra às mudanças, muito pelo contrário. Na verdade, Edson, acompanhado por outros comerciantes, reclamam apenas da ausência de informações. 
A troca será obrigatória, primeiramente, para veículos novos e em caso de troca de domicílio de registro. O Rio de Janeiro, primeiro estado a adotar o novo modelo, enfrenta problemas, como impossibilidade de usar aplicativos de estacionamento com a nova placa e impedimento de que esses carros sejam multados por órgãos de trânsito.
Enquanto isso, na Bahia, a dúvida começa pelo básico: como fazer. O que se sabe é que algumas características diferenciam a nova da placa atual, cujo preço médio é de R$ 215: a cor mudará de cinza para branco e azul, haverá quatro letras e três números, e um QR CODE e uma marca d’água serão usadas para dificultar falsificação. Não que seja contra às mudanças, muito pelo contrário. Na verdade, Edson, acompanhado por outros comerciantes, reclamam apenas da ausência de informações. 
Fonte: Correio
Reportagens recentes:

Deixe um comentário

Líder Notícias - O seu canal de informação! © 2013 - 2018 | Desenvolvido por Junior Pacheco