Após dizer a Lewandowski em voo que tem vergonha do STF, advogado é levado pela PF

Antes da decolagem de um voo de São Paulo para Brasília na manhã desta terça-feira (4), o advogado Cristiano Caiado de Acioli foi ameaçado pelo Ministro do Supremo Tribunal Federal, Ricardo Lewandowski, de prisão. A atitude do magistrado foi em decorrência de um comentário de Acioli que se dirigiu ao togado afirmado que o “Supremo é uma vergonha”. 

De acordo com o G1 DF, ao ouvir a declaração, o ministro reagiu de imediato questionando se o autor queria ser preso. Em seguida, Lewandowski pediu ao comissário de voo da empresa Gol para que a Polícia Federal fosse chamada. 

O momento da abordagem ao magistrado foi registrada em uma gravação. Ao término do registro audiovisual o advogado rebate as falas do ministro: “Eu não posso me expressar? Chamem a Polícia Federal, então. Por que eu falei que o Supremo é uma vergonha?”. 

Agentes da PF de São Paulo chegaram a ir até a aeronave e entraram em acordo com Cristiano para que ele se acalmasse e o voo pudesse ser realizado “sem problemas”. Ao chegar em Brasília, no entanto, Acioli foi detido e levado para a Superintendência da Polícia Federal para prestar esclarecimentos. Até as 15 horas (horário de Brasília) desta terça-feira, o advogado ainda se encontrava na repartição.   

Cristiano Caiado de Acioli tem 39 anos, é natural de Brasília. Nas suas redes sociais posta diversas publicações de cunho político, é simpatizante do presidente eleito Jair Bolsonaro, crítico a esquerda e de outros ministros do STF como Dias Toffoli e Gilmar Mendes. 

Confira o registro em vídeo: 
Reações: 
O que você achou dessa notícia?

Publicações recentes

Reportagens recentes:

Deixe um comentário

Líder Notícias - O seu canal de informação! © 2013 - 2018 | Desenvolvido por Junior Pacheco