Menu Mobile 1

Menu Horizontal Fixo

Menu Horizontal Relativo

Irecê: Estelionatários tentam aplicar golpes em empresários

06/02/2020

Empresários em Irecê alertam a população e o comércio para um novo golpe que está na praça. Segundo empresários que foram alvos dos bandidos, estelionatários estariam ligando para seus funcionários e amigos, utilizando-se da identidade da vítima para pedir dinheiro. Na ligação, o bandido se passando pelo empresário pede  dinheiro aos funcionários e amigos e em troca oferece uma gratificação. Na ligação que foi gravada, é possível ouvir o estelionatário que se passa pelo empresário, pedindo que "não comentasse com ninguém".  

Outro golpe bastante comum que tem sido aplicado por estelionatários é a clonagem do número de telefone para pedir dinheiro aos contatos. Geralmente os bandidos dizem precisar realizar uma transferência para uma determinada conta, mas que não possui o valor no momento disponível e solicita que os seus contatos façam, para que possam posteriormente devolver o valor. O golpe que clona aplicativo de conversa continua a fazer vítimas em Irecê e é importante a população ficar atenta a possíveis indícios.


Confira os tipos de golpes e como se proteger deles:

1. Empréstimo em nome de um falecido

O estelionatário, com informações privilegiadas e aproveitando-se do período imediato ao falecimento de um ente querido – quando a família ainda está abalada – realiza um empréstimo em instituições financeiras usando dados do falecido.

Os fraudadores, por vezes, obtêm sucesso em algumas empresas, que oferecem crédito fácil, sem comprovação de renda, apenas apresentando documentos forjados ou roubados.

Dica: Fique atento(a) à documentação de pessoas da família que faleceram, como contracheque, CPF e identidade.

2. Golpe do pecúlio                                                             

A vítima recebe telefonema ou correspondência de uma pessoa que alega ser funcionário de associação, de empresa de previdência privada ou um Oficial do Exército, informando sobre um suposto saldo de pecúlio a receber e oferecendo o saque imediato.

O estelionatário solicita que seja feito um depósito de 10% do valor que a vítima teria a receber em uma conta corrente indicada.

Por estar de posse de dados pessoais como nome, CPF, endereço e número da conta, por exemplo, o estelionatário deposita na conta corrente da vítima um cheque furtado/roubado, que fica bloqueado por mais de 24 horas e depois é sustado.

Dica: Não forneça ou confirme seus dados a estranhos. Somente trate de assuntos financeiros em instituições.

3. O falso sequestro

O estelionatário liga para a vítima e diz que sequestrou algum parente dela. Ele exige que uma quantia em dinheiro seja depositada em uma conta corrente e não permite que a pessoa desligue o aparelho.

Dica: Oriente todas as pessoas da casa a não fornecer dados pessoais, sobretudo ao telefone. São essas informações que os golpistas usam para dar mais credibilidade aos golpes. Além disso, sequestradores não solicitam que não se desligue o telefone.

4. Parentes em dificuldade

O estelionatário se passa por um parente em apuros financeiro e pede, por telefone, que a vítima deposite uma quantidade de dinheiro para socorrê-lo.

Dica: Não trate assuntos financeiros ao telefone. Desligue, ligue para a pessoa conhecida. Não deposite dinheiro na conta de desconhecidos.

5. Golpe do consórcio

O falsário utiliza uma empresa de fachada e induz a vítima a ingressar em grupos de consórcio, mediante o pagamento antecipado de taxas, bem como a prestação mensal de cotas pelo período mínimo de 12 meses.

Decorrido o prazo, a “empresa” fecha e a pessoa fica com o prejuízo.

Dica: Antes de fechar negócio, certifique-se que a empresa é cadastrada e possui solidez no mercado. Cuidado com dinheiro rápido e fácil.

6. O gerente de banco

O estelionatário ou ladrão, passando-se por funcionário do banco, após organizar a fila, recolhe dos clientes as guias de depósito com dinheiro, pedindo que aguardem o recibo por alguns instantes e sai rapidamente do local.

Dica: Mantenha sigilo absoluto sobre a senha de sua conta bancária. Não aceite ajuda de estranhos. Confirme quem é funcionário do banco, antes de solicitar auxílio.

7. Golpe do bilhete premiado

O estelionatário, dizendo ser de outro Estado, afirma que a vítima tem um prêmio a receber e a convence a acompanhá-lo até o local de recebimento da premiação.

O bilhete é oferecido por preço irrisório. Recebido o valor combinado, o estelionatário foge.

Dica: Desconfie de pessoas estranhas com ofertas muito generosas. Dinheiro fácil não existe. 

8. Promoção do programa de TV

O criminoso liga para a residência da vítima, dizendo ser da produção de um programa de televisão, que a pessoa foi sorteada e tem prêmios a receber.

No entanto, para validar a ação, a vítima deve comprar cartões de telefone e recarregar o número do celular orientado pelo estelionatário.

Dica: Empresas de TV só distribuem prêmios mediante cadastramento, ou seja, ninguém dá dinheiro de graça.

9. Golpe da mensagem premiada

O estelionatário envia mensagem para o celular da vítima informando que ela ganhou um prêmio. Novamente, para recebê-lo, você deve depositar uma quantia em dinheiro na conta corrente dele.

Após o depósito, a pessoa percebe que foi vítima de um golpe e fica com prejuízo.

Dica: Não acredite em promoções enviadas por mensagem de texto para celular.

10. Golpe da suposta empresa de telefonia

Estelionatário, passando-se por funcionário da empresa de telefonia, liga para o celular da vítima dizendo que foi detectado um defeito naquele aparelho. Ele solicita que a pessoa digite um número por ele fornecido.

Com esta simples ação, o bandido clona o número da linha e a utiliza de forma indiscriminada, realizando ligações interurbanas e internacionais.

Dica: As empresas telefônicas não ligam para os celulares dos clientes solicitando que sejam digitados números no teclado do aparelho.

11. Ação judicial para aposentados

Aposentados são contatados, via telefone e por Correio (falso informativo), por um cidadão que se apresenta como advogado, representante jurídico dos inativos e pensionistas. Essa pessoa informa sobre o ganho de uma ação judicial coletiva.

O meliante, então, solicita à pessoa que ligue para um telefone e informe-se (com um outro fraudador) sobre o número da conta em que deverá ser efetuado o pagamento referente às custas processuais.

Dica: Por mais animadora que seja a notícia de receber uma quantia razoável em dinheiro, não se deixe enganar. A prática judicial não prevê ligações para comunicar êxito em ações na Justiça.

12. Golpe pela internet

A pessoa recebe um e-mail sobre os mais diversos assuntos (cobrança, informações em geral ou mesmo correntes de ajuda – principalmente com fotos de crianças desaparecidas), enviados em nome de uma empresa.

Ao clicar em algum link ou abrir algum arquivo executável (extensão.exe), é instalado no computador da vítima um arquivo conhecido por “Trojan” (Cavalo de Tróia).

Esses “Trojans” são capazes de capturar suas senhas, números de cartões e até mesmo alterar o endereço de destino do seu provedor de Internet, programando o discador para se conectar em outro provedor não solicitado.

Dica: Não abra e-mails desconhecidos. Delete-os.

13. Golpe bancário

O estelionatário deposita um valor considerável na conta corrente da vítima. Em seguida, liga informando que se trata de um erro por parte do banco e tenta persuadi-la a ficar com parte do valor.

A vítima acaba realizando uma movimentação bancária validando, com isso, o referido golpe.

No mês subsequente, a vítima verifica que, com a movimentação bancária feita anteriormente, validou um empréstimo bancário em seu nome.

Dica: Desconfie de qualquer depósito bancário não programado. Procure seu gerente de conta.

14. A renovação do empréstimo

Bandidos se apresentam como representante de instituição financeira oferecendo renovação de um empréstimo com juros menores. Para isso, solicita o identificador da margem consignável do contracheque da vítima.

Em seguida, a vítima recebe um depósito de um valor considerável na sua conta corrente. Daí, o estelionatário liga novamente, dessa vez, dizendo que o valor foi depositado equivocadamente e solicitando a devolução de parte do valor em uma conta corrente por ele indicada.

No mês seguinte, a vítima é surpreendida com o desconto em contracheque da primeira  parcela de um empréstimo (feito em seu nome pelo estelionatário).

Dica: Jamais informe seu identificador da margem consignável por telefone e desconfie de qualquer depósito bancário não programado. Procure seu gerente de conta. 


15. Clonagem celular

Estelionatários estão utilizando o aplicativo WhatsApp como principal ferramenta para aplicar um novo golpe na praça. Na modalidade, os estelionatários clonam celulares e através das informações do aparelho, utilizam o aplicativo para pedir dinheiro para pessoas próximas aos proprietários.
O golpe tem duas vítimas, a que tem o celular clonado e a outra que é lesada financeiramente.

16. Golpe da festa

Normalmente os hackers justificam o contato dizendo que precisam confirmar a presença do alvo escolhido em alguma celebração, jantar ou algo do gênero, para o qual está sendo oferecido um convite ou promoção especial. Ressalte-se que os golpistas não utilizam nenhuma sofisticada técnica de invasão digital. A manobra emprega a denominada engenharia social, pois faz a vítima entregar voluntariamente os dados que permitirão o roubo de sua conta.
Empregando uma linguagem quase sempre formal, os criminosos telefonam ou enviam mensagem de texto para a vítima e, a fim de ganhar credibilidade, citam como anfitrião algum nome do círculo de relacionamento do titular da conta de WhatsApp ou de uma celebridade da área de seu interesse — informações em geral levantadas nas redes sociais.

Publicações recentes

Deixe um comentário

Reportagens recentes:
Líder Notícias - O seu canal de informação! © 2013 - 2020 | Desenvolvido por Junior Pacheco