COVID-19
Ouça nossas rádios
Play Pause Entrar
Play Pause Entrar
Play Pause Entrar
Play Pause Entrar

Ouça essa matéria

Agricultura familiar baiana lidera ranking nacional da produção de caprinos

24/07/2020

A Bahia ocupa o 1º lugar no ranking da produção nacional de caprinos e a segunda de ovinos, sendo 90% dessa produção da agricultura familiar. 
A caprino-ovinocultura tem um papel significativo para o desenvolvimento do rural baiano, com a diversificação da produção e a geração de emprego e renda para milhares de agricultores. Esse é um dos sistemas produtivos liderados pela agricultura familiar baiana, que, no próximo sábado, celebra o Dia Internacional da Agricultura Familiar (25 de julho), data instituída pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO).


O grande potencial econômico e as mudanças nos hábitos de consumo tendem a abrir espaço aos produtos da caprinocultura de corte, que se destaca pela maciez, suculência e qualidade nutritiva de sua carne. Quando processada adequadamente, em cortes especiais resfriados e congelados, a carne tem forte apelo mercadológico.


Referência no estado na produção de caprinos e ovinos, a Cooperativa Agroindustrial de Pintadas (Cooap) é uma das instituições da agricultura familiar que vêm se consolidando e proporcionando a mudança de vida e a melhoria da renda de 300 famílias produtoras de caprinos e ovinos do Território Bacia do Jacuípe. Os animais da Cooap são abatidos pela Frigbahia, Organização de Cooperativas e Produtores de Caprinos e Ovinos, e de lá as carnes são comercializadas com a marca Fino Sertão.


Economia sustentável

Pernil, costela, filé, carré, entre outros cortes de cabritos e cordeiros já ganharam o paladar e a preferência no meio gastronômico. A Bravo Burguer & Beer, considerada uma das melhores hamburguerias do país, por exemplo, utiliza a carne dos caprinos e ovinos da Cooap em seus estabelecimentos.

Para o chef e dono da rede Bravo, Rafael Zacarias, saber da procedência do alimento que está sendo ofertado ao cliente faz toda a diferença. Ele observa que a valorização dos agricultores garante uma economia sustentável e um alimento limpo na mesa do cliente.

“Precisamos valorizar o que temos aqui no estado. Por que comprar de fora se temos boas carnes e tantos outros produtos de qualidade aqui na Bahia? Saber como o bode é produzido, como é o corte, como é o cuidado dos produtores rurais, nos dá a procedência do alimento. Tive a oportunidade de acompanhar e conhecer todo esse processo. Isso agrega valor ao produto e resulta no feedback positivo, que recebemos dos nossos clientes”, afirma Rafael.


Leia Também

Reportagens recentes:
2011 - 2020 @ Líder Notícias - O Seu Canal de Informação | Desenvolvedor :: @ vJPacheco