COVID-19
Ouça nossas rádios
Play Pause Entrar
Play Pause Entrar
Play Pause Entrar
Play Pause Entrar

Ouça essa matéria

Filha de José Serra tinha conta no Panamá para lavar dinheiro do pai

04/07/2020

A filha de José Serra, Verônica, também é alvo da Operação Revoada: como noticiamos, ela foi denunciada por lavagem de dinheiro.Segundo a força-tarefa da Lava Jato em São Paulo, pai e filha ocultaram dinheiro.
A denúncia do MPF, obtida por O Antagonista, traz os detalhes dessa relação familiar em um esquemão de pagamentos de propinas.Diversas transferências realizadas entre 2006 e 2007 forem feitas em uma offshore chamada Dortmund Internacional Inc.. Segundo o MPF, a conta criada no Panamá em dezembro de 2003 era controlada por Verônica Serra.

“Embora conste, de sua ficha cadastral, o cidadão uruguaio FRANCISCO RAVECCA como contato da DORTMUND, uma procuração anexada concede a VERÔNICA ALLENDE SERRA (representada, no ato, por HERRERA VILLAREAL e HERRERA DE DIAZ67) poderes para geri-la e representá-la. Mais ainda, constam da documentação cadastral referências a dados pessoais de VERÔNICA ALLENDE SERRA, como data de seu nascimento, em 30/05/1969, sua cidadania brasileira (como anotação riscada e substituída por cidadania italiana), e seu endereço em São Paulo/SP. Constam também cópias dos passaportes e documentos diversos relativos à DORTMUND, à VERÔNICA ALLENDE SERRA (passaporte italiano), e a FRANCISCO GUILLERMO RAVECCA JONES (uruguaio).”

Documentos colhidos pela Lava Jato em São Paulo demonstram que a filha de José Serra “exercia gestão constante” da conta no Panamá.

O objetivo, segundo os investigadores, era claro: ocultar e lavar dinheiro.

“Emerge claramente que a DORTMUND, como grande parte das offshores sediadas no Panamá, constitui mera “casca” que oculta a titularidade e a origem de valores que por ela passam.”

Para o MPF, não restam dúvidas de que “a real titular” da conta panamenha era Verônica.

“Assim, ao JOSÉ AMARO RAMOS realizar, a partir de contas suas, transferências vultosas em favor da DORTMUND, entre 2006 e 2007, o que se praticava eram atos de ocultação e dissimulação da natureza espúria dos valores que recebera da ODEBRECHT no período, assim, s eus reais destinatários: JOSÉ SERRA e sua filha VERÔNICA SERRA.”

Leia Também

Reportagens recentes:
2011 - 2020 @ Líder Notícias - O Seu Canal de Informação | Desenvolvedor :: @ vJPacheco