COVID-19
Ouça nossas rádios
Play Pause Entrar
Play Pause Entrar
Play Pause Entrar
Play Pause Entrar

Ouça essa matéria

Idoso faz mais de 700 doações de sangue em 49 anos e recebe homenagem em Salvador

17/07/2020




Seu Arnaldo doou sangue por 49 anos em Salvador — Foto: Reprodução/ TV Bahia

Um idoso recebeu uma homenagem, em Salvador, por fazer mais de 700 doações de sangue durante 49 anos. Ele fez a última doação na Fundação de Hematologia e Hemoterapia da Bahia (Hemoba), na terça-feira (15), porque completa 70 anos na próxima quarta (22) e, por lei, não vai mais poder doar sangue regularmente.

Entre tantas doações, o professor aposentado Arnaldo Fernandes também já foi garoto propaganda da Hemoba. “Não saí bonito na foto, eu sou bonito [risos]”, contou Arnaldo.

Com orgulho, o idoso guarda uma carteirinha do antigo Instituto de Coleta de Sangue da Bahia (Colsan), onde está registrada a data da primeira doação de sangue: 29 de janeiro de 1971.

“Foi um chamado de um colega meu porque o pai dele iria fazer uma cirurgia, e estava precisando de doadores. Fui fazer essa doação e, quando eu cheguei no antigo Hemoba, que se chamava Colsan, eu comecei a fazer perguntas ao médico que estava de plantão e ele me mostrou a importância da doação. Então, eu continuei”, relatou o aposentado.

O início de uma rotina de doação de sangue continuou após a criação do Hemoba, em 1983. Em quase cinco décadas, Arnaldo fez 294 doações de sangue e 444 de plaquetas. A estimativa é que ele tenha ajudado a salvar quase 4 mil vidas.


“É uma grande satisfação em saber que contribuí para salvador vidas”, comentou o aposentado.

Quando seu Arnaldo se preparava para a última doação de plaquetas, recebeu a surpresa de uma placa de agradecimento entregue pela médica que ele próprio escolheu para fechar o ciclo de doador. Ele recebeu muitos aplausos. A partir de agora, o aposentado só pode doar caso haja uma autorização especial, após uma avaliação do quadro de saúde.


“Simplesmente emocionante. Eu agradeço muito ao Hemoba, a todos os presentes, a toda essa família Hemoba, agradeço de coração”, completou o aposentado após a homenagem.

“É uma despedida de uma vida de doação, não são muitas pessoas que doam. Nosso percentual em relação as pessoas que doam, é pequeno. Seu Arnaldo é um exemplo”, disse a médica da Hemoba, Isabela Lago.

“Seu Arnaldo é um marco, não só pela regularidade, como o tempo de doação, a ponto de ele se sentir meio triste por chegar no momento em que só com a autorização médica que ele vai poder fazer doação”, explicou o médico Fernando Araújo, diretor do Hemoba.

Atualmente, o estoque de sangue da Hemoba está em nível crítico. Desde o início da pandemia, o número de candidatos à doação caiu 28%. De março à junho, foram 8.200 bolsas a menos coletadas.




Fonte G1

Leia Também

Reportagens recentes:
2011 - 2020 @ Líder Notícias - O Seu Canal de Informação | Desenvolvedor :: @ vJPacheco