COVID-19
Ouça nossas rádios
Play Pause Entrar
Play Pause Entrar
Play Pause Entrar
Play Pause Entrar

Ouça essa matéria

Mulungu do Morro: por revanchismo, candidato da oposição suspende acordo e ameaça fazer aglomeração

19/09/2020






Mesmo com o crescimento de 100% de casos da Covid-19 em menos de 15 dias no município e duas mortes, a última nesta sexta-feira, 18, candidato de oposição diz que seus seguidores vão às ruas


Apesar dos crescentes índices de casos de Covid-19 no Brasil, na Bahia e no município de Mulungu do Morro, que saiu de 46 casos no dia 4 de setembro e chegou a 92 nesta sexta-feira, 18, militantes estão indo às ruas participar de eventos políticos. O município registra dois óbitos, sendo o último nesta sexta-feira, um senhor de 90 anos, cardiopata, hipertenso e portador de Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica.

Os dois grupos políticos afirmam que orientaram seus aliados a acompanharem de casa, mas o povo insistiu em ir às ruas. Derrotado nas duas últimas eleições (2012 e 2016) o candidato a vice-prefeito Neto Game (PSD) na chapa com Acácio Teles (PT) acusou, em vídeo publicado em sua página pessoal de rede social, a chapa majoritária adversária formada por Edimário Boaventura (PSB)  e Elseclei Sales (PP) de não cumprir acordo entre os dois grupos políticos e a Polícia Militar. Pelo combinado, os dois grupos não mobilizariam seguidores para as convenções e estas seriam apenas para os membros das comissões partidárias e os candidatos. Candidato pela chapa situacionista, Edimário Boaventura desmente Game: “na verdade ele está desviando o foco do fracasso que foi o seu ato político. Nós nunca convidamos ninguém a participar de nenhum evento. As participações tem sido espontâneas”.


CONVENÇÃO do PT escolheu Acácio Teles como candidato a prefeito Mulungu - Foto: Redes Sociais




Edimário, Fredson e Elseclei na Convenção do PSB





CANDIDATO CANCELA ACORDO E AMEAÇA AGLOMERAR

O manifesto do candidato situacionista ocorre em reação a uma denúncia feita por Neto Games, dia 15, terça-feira, logo após a convenção do PSB e PP, ao dizer que a chapa governista descumpriu o acordo anti aglomeração. Mesmo em tempo de Pandemia “eles não cumpriram o acordado e mobilizaram seus aliados para a convenção, promovendo aglomeração com passeata e carreata”, reclamou o oposicionista, que ameaçou: “Quero deixar claro pra vocês que o nosso compromisso... pra evitar estes tipos de manifestação, ele finaliza-se no dia de hoje. Vocês cutucaram uma caixa de ‘maribondi’. Então vocês vão ter que aguentar. Porque isso que vocês fizeram hoje, foi muito pior que as manifestações que a gente fazia em 2016, quando fui candidato e perdi as eleições com quase dois mil votos... Vocês vão sentir a força do povo”, disse Neto, em tom de ameaça, salientando, entretanto, que qualquer manifesto não seria a pedido dele ou Acácio, mas da vontade do povo.

Antes da ameaçar que seus aliados a partir do dia 15 iriam para as ruas, Neto Game reconheceu que na convenção da sua chapa, também ocorreu aglomeração. “Pedimos ao povo para não irem no evento, para não aglomerar... uma quantidade significativa de pessoas foram ainda, houve uma certa aglomeração, mas não foi por nossa orientação”, disse o candidato.


MIMIMI, HISTÓRICOS DE MENTIRA E PESQUISAS COM RESULTADOS FALSOS

Edimário informou à reportagem que “Neto Games mentiu ao dizer que o povo foi mobilizado e estimulado por nossos candidatos a irem para a Convenção. Para nosso evento convidamos apenas os candidatos e membros das comissões partidárias. Edimário e Sales tem orientado ao nosso povo a não se aglomerar. O que aconteceu, na verdade, é que a convenção deles foi um fracasso e para se justificar, ele vem com este mimimi”, afirmou o progressista.

Boaventura destacou ainda: “Mentir e promover a campanha do ódio é uma prática comum de Neto Games. Nosso líder Fredson sempre coordenou as campanhas e o governo, com a verdade, muito trabalho, paz e serenidade. Esta diferença entre a mentira e a verdade, entre o ódio e a serenidade é que nos levou a duas vitórias, derrotando seguidamente nossos adversários, que estão com a terceira derrota em curso, pois o povo de Mulungu não aceita mentirosos e traidores como lideres”, disse o candidato Edimário, em alusão a Neto Games em suas falas de todas as campanhas e a Acácio Teles, “que abandonou o grupo liderado pelo prefeito Fredson Cosme, porque sabia que as lideranças não o escolheriam como candidato a prefeito, em razão dos vários contextos de deslealdade com o grupo”, pontuou.


DESAFIO SOBRE PESQUISAS ELEITORAIS: “OPOSIÇÃO FICOU EM SILÊCIO”

O candidato a prefeito pelo PSB salienta ainda que a exemplo do que fazia nas eleições passadas, Neto Games se apossa de pesquisas com resultados fraudulentos para enganar os eleitores. Recentemente foram divulgadas três pesquisas registradas. Em uma eles disseram que Teles tinha 48% e eu 38%. Outros dois institutos independentes divulgaram afirmando que na verdade, eu estou com aceitação acima de 56% e Teles 38% e 34%. 

“Depois de muita polêmica, aliados nossos desafiaram a Games e Teles a escolherem o instituto de pesquisa mais reconhecido, mais gabaritado do Brasil para fazer uma pesquisa em Mulungu e mostrar a verdade para o povo. Em vez de aceitarem o desafio, ficaram em silêncio, fugiram. São uns fujões!. Aqui em Mulungu tem a cultura das apostas. Seus apostadores sumiram no mundo. Quando aparece um é querendo pelo menos 1.000 votos de frente. Isso é uma confissão da derrota”, conclui Edimário.


Fonte: Ascom/EB



Leia Também

Reportagens recentes:
2011 - 2020 @ Líder Notícias - O Seu Canal de Informação | Desenvolvedor :: @ vJPacheco