COVID-19
Ouça nossas rádios
Play Pause Entrar
Play Pause Entrar
Play Pause Entrar
Play Pause Entrar

Ouça essa matéria

Brasil tem primeira queda na arrecadação de impostos da história em 2020

04/01/2021

Até as 23h59 do dia 31 de dezembro, os brasileiros pagaram R$ 2,057 trilhões em tributos para os governos federal, estadual e municipal. A informação é do Impostômetro, ferramenta da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), que acompanha a arrecadação no país em tempo real. 

O valor representa redução de 17,85% em relação ao montante pago pelos contribuintes em 2019 e marca a primeira queda na arrecadação de tributos da história do levantamento, que começou em 2005. Em nota, a entidade esclarece que a redução está ligada à crise econômica causada pela Covid-19. “[A pandemia] impactou diretamente em todas as atividades de trabalho, com destaque maior para o setor terciário que inclui o comércio e a prestação de serviços e corresponde a mais de 70% pelos empregos gerados no país.” Ainda segundo o comunicado, a ferramenta acompanha o crescimento da economia e o aumento de preços dos produtos e, até então, nunca havia registrado uma queda mínima de captação de tributos, com a arrecadação subindo ano a ano.

De acordo com a associação, o poder público recebeu da população aproximadamente R$ 2,50 trilhões no ano passado. Ou seja, esse ano foram arrecadados R$ 447 bilhões a menos. Já para 2021, a entidade espera que, mesmo com os impactos da pandemia, o país deve capitalizar mais contribuições. “Além de as atividades – principalmente as de serviços e do varejo – não estarem mais tão restritivas em seu funcionamento quanto estavam no pico da pandemia, na metade deste ano, o poder público também se mexeu para arrecadar mais”, informou, destacando o caso de São Paulo. Ao baixar o decreto 65.253/20, o governo do estado permitirá que mais de 300 produtos tenham sobretaxa de ICMS, o que ajudará a aumentar a arrecadação estadual.

O Impostômetro considera todos os valores arrecadados pelos municípios, estados e pelo governo federal para chegar aos valores recebidos em impostos, taxas e contribuições, multas, juros e correção monetária pagos pela população. Nas bases de dados, a ferramenta calcula automaticamente os dados utilizados pela Receita Federal, Secretaria do Tesouro Nacional, Caixa Econômica Federal, Tribunal de Contas da União e IBGE. As receitas dos estados e do Distrito Federal são apuradas com base nos dados do Conselho Nacional de Política Fazendária, secretarias estaduais de Fazenda, Tribunais de Contas dos Estados e Secretaria do Tesouro Nacional do Ministério da Fazenda. Já as arrecadações municipais são obtidas por meio da Secretaria do Tesouro Nacional, dos municípios, que divulgam seus números em atenção à Lei de Responsabilidade Fiscal, e dos Tribunais de Contas dos Estados.

Série Histórica Impostômetro:

 

2014

R$ 1.913.945.777.706.00

2015

R$ 1.992.868.462.040,52

2016

R$ 2.004.536.531.089,32

2017

R$ 2.172.053.819.242,78

2018

R$ 2.388.541.448.792,42

2019 (31/12/2019 – 23:59:59)

R$ 2.504.853.948.529,48

 

Leia Também

Reportagens recentes:
2011 - 2020 @ Líder Notícias - O Seu Canal de Informação | Desenvolvedor :: @ vJPacheco