COVID-19

Ouça essa matéria

Jussara: APLB acusa município de suprimir direitos dos professores da rede municipal de ensino

23/02/2021




Por meio de uma nota de repúdio, a APLB manifestou repúdio suspensão do enquadramento, demissão, redução e suspensão dos salários dos profissionais da educação pela atual administração do prefeito Tacinho Mendes.

A nota foi publicada nas redes sociais, também faz graves acusações ao ex-prefeito Hailton Dias, que, segundo a categoria, não cumpriu com pagamentos de salário, férias, 13º e acordo realizado junto aos professores.

Nesta quarta-feira, 24, a categoria profissional concederá uma entrevista no Jornal do Meio Dia da Rádio Irecê Líder FM, tratando sobre essa situação. O espaço também estará aberto ao município através do prefeito, secretário de educação e procuradoria, caso queiram se manifestar.

Leia a nota na íntegra:


Em meio à crise do Coronavírus, no momento mais difícil de pandemia para os trabalhadores/as em educação da rede municipal de Jussara que foram apunhalados pelo Ex-Prefeito Sr. Hailton Dias, que saiu sem pagar três parcelas do acordo/2019, o salário referente o mês de dezembro/2020, décimo terceiro/2020, terço de férias/2020 e sem conceder o reajuste do piso/2020, e quando os servidores/as mais precisam de apoio, como se não bastasse, o atual Prefeito Sr. Tarciano Mendes no dia 29/01/2021 suspende o enquadramento dos Professores/as da rede municipal de ensino de Jussara, corta 50% dos salários, suspende o pagamento do salário de alguns servidores/as que já trabalhavam há mais de 25 anos na rede municipal de ensino, sem se quer dialogar e notificar com antecedência esses/as servidores/as, que foram surpreendidos/as com tais medidas desrespeitosas, e não tiveram se quer tempo para se preparar, medidas essas que agravaram ainda mais as dificuldades já vivenciadas, deixando a vida financeira desses/as servidores/as em um caos ainda maior, causando em alguns servidores/as adoecimento físico e mental, como estresse e ansiedade.

A APLB Jussara reitera seu repúdio a qualquer forma de redução salarial ou retirada de direitos de professores(as) e funcionários(as). Cujo direito ao Enquadramento de 20 horas é legal, e garantido na Lei 028/98, Cap. 04, Art. 23 (Plano de Carreira do Magistério Publico), Lei 069/2004, Cap. V. Art. 16 (Estatuto dos Servidores do Magistério Público do Município de Jussara – Bahia), e na Lei complementar 088/2005. Exigimos que a Gestão cesse qualquer medida que venha a retirar direitos historicamente conquistados pela categoria. A melhoria da educação passa pela valorização profissional, salários e condições de trabalho dignas e seguras como um dos pilares para a qualidade educacional. Não é retirando direitos, sacrificando à carreira e reduzindo vencimentos, que chegaremos à melhoria da educação. Ao contrário, medidas como essas vão na contramão do que é necessário para o aumento da qualidade educacional.

Não aceitaremos essa maldade.

Lutaremos pela manutenção dos nossos direitos!

#NenhumDireitoaMenos

#emdireitosnãosemexe

Á Direção

APLB Sindicato Núcleo de Jussara

Ainda em suas redes sociais, a APLB disse que apoia a luta e repudia qualquer ato de retirada de direito da categoria.

A APLB Jussara apoio a luta e repudia qualquer retirada de direito. Enquadramento é DIREITO garantido nas Leis municipal, Lei 028/98, Cap. 04, Art. 23 (Plano de Carreira do Magistério Publico), Lei 069/2004,… Mais Cap. V. Art. 16 (Estatuto dos Servidores do Magistério Público do Município de Jussara – Bahia), e na Lei complementar 088/2005. Lutaremos firmes na defesa dos direitos dos trabalhadores/as.


Leia Também

Reportagens recentes:
2011 - 2020 @ Líder Notícias - O Seu Canal de Informação | Desenvolvedor :: @ vJPacheco