COVID-19

Ouça essa matéria

Em três recordes, entenda por que o Brasil virou epicentro global da Covid-19

19/03/2021

Negacionismo, aglomerações, disseminação de variantes do vírus e falta de infraestrutura hospitalar estão entre razões que levaram país a registrar índices inéditos de infecções, óbitos, médias móveis e internações.

Nos Estados Unidos, por exemplo, a média móvel de novos casos de Covid-19 diminuiu 74,9% no início de março, em comparação ao maior pico registrado no mês de janeiro deste ano. Segundo o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), o índice de 249.360 contaminações (11 de janeiro) caiu para 62.555 (3 de março).

A melhora nos índices americanos acompanha o avanço da campanha de vacinação no país. Até 4 de março, 16,1% dos cidadãos já haviam recebido ao menos a primeira dose da vacina contra a doença. No Brasil, apenas 5% da população brasileira recebeu a primeira dose.


"Infelizmente, é uma evolução inevitável da forma pela qual a pandemia está sendo encarada no nosso país, com negacionismo ao problema e totalmente sem liderança e planejamento", afirma Leonardo Weissmann, consultor da Sociedade Brasileira de Infectologia. — Necessitamos de vacinação em massa o mais rápido possível, mas não sabemos quando e se isso irá acontecer.

Leia Também

Reportagens recentes:
2011 - 2020 @ Líder Notícias - O Seu Canal de Informação | Desenvolvedor :: @ vJPacheco