COVID-19

Ouça essa matéria

PEDRO TAVARES PARABENIZA ANTÔNIO GONÇALVES, SERROLÂNDIA E MACAÚBAS

23/07/2021


A emancipação política e administrativa dos municípios baianos de Antônio Gonçalves, Serrolândia e Macaúbas foi motivo de comemoração por parte do deputado Pedro Tavares (DEM) que inseriu, na ata dos trabalhos da Assembleia Legislativa, moções de congratulações pela passagem do aniversário das referidas cidades. Nos documentos, o democrata relata como a população dessas localidades construiu sua autonomia, enaltecendo a história, as belezas naturais e o desenvolvimento econômico nos tempos atuais.

Antônio Gonçalves, conta Tavares, completou 59 anos de emancipação no dia 5 de julho. A região, onde se localiza o município, foi primitivamente habitada pelos índios paiaiá, tendo a colonização sido iniciada no final do século XIX com a chegada de famílias que constituíram a Fazenda Pau Ferro. Em 1916, foi inaugurada a estação ferroviária na propriedade denominada Frade, que posteriormente passou a se chamar Itinga, na língua indígena "água branca", nome do rio de águas transparentes existentes no território.

O legislador lembra que já por volta de 1962, com elevação à categoria de município, alterou-se o topônimo para Antônio Gonçalves, em homenagem ao profissional médico que militou muitos anos naquelas terras. Antônio Gonçalves possui hoje mais de 11 mil habitantes, fica a 391 quilômetros da capital e faz parte do Território de Identidade do Piemonte Norte do Itapicuru, na microrregião de Senhor do Bonfim, fazendo limites com os municípios de Pindobaçu, Filadélfia, Mirangaba, Campo Formoso e Senhor do Bonfim. Dentre as principais atividades econômicas pode-se ressaltar a pecuária e a agricultura como fonte de receita e geração de emprego para os seus moradores.

MONTE DE PEDRA

O presidente da Comissão de Infraestrutura, Desenvolvimento Econômico e Turismo da ALBA parabenizou Serrolândia pela conquista da liberdade, ocorrida pela lei estadual de 23 de julho de 1962. O autor da moção de congratulações fala que, na área do atual município de Jacobina, desenvolveu-se um pequeno povoado, o qual recebeu o nome de Serrote, denominação que viria a ser mudada para Serrolândia. O município - revela Pedro Tavares - tem importantes rebanhos de suínos e asininos, e entre suas áreas naturais destacam-se o Açude de Serrolândia e o Monte Serrote - monte de pedra, em forma de um serrote cheio de bicos, que é a origem do nome do município.

O parlamentar cita os tipos populares da região, os famosos "benzedores" com poderes de cura por meio de orações ou de ervas, além dos festejos ligados ao ciclo junino, com suas comidas e bebidas típicas, em especial o Arraiá do Licor, sempre realizado na Praça do Sol Nascente e organizado pela Prefeitura Municipal. "Na ocasião em que a próspera cidade comemora mais um aniversário de sua

emancipação, sinto-me felicitado por manifestar, de público, minhas congratulações pela efeméride e com sua valiosa gente, cujo traço marcante é a vocação para o trabalho e um acentuado amor à terra natal", diz o deputado, solicitando ainda que a iniciativa seja do conhecimento do vereador Clebson Lima de Moura (Clebinho), demais membros da Câmara de Vereadores, a imprensa oficial, e a todos os cidadãos de Serrolândia.

CICLO DO OURO

No dia 06 de julho passado, Macaúbas, situado na mesorregião do Centro Sul Baiano, distante 682 km de Salvador, fez aniversário de 189 anos de emancipação política e foi homenageado na Casa Legislativa pelo deputado Pedro Tavares. Com pouco mais de 49.000 habitantes, o município foi colonizado por portugueses no século XVIII, numa região que era habitada por indígenas tuxás. Durante anos, Macaúbas fez parte do território de Paratinga até que em 1832 foi emancipado à categoria de vila. De acordo com o parlamentar, o município é servido pela rodovia estadual BA-156, ligando várias cidades baianas, como Boquira, Tanque Novo, Conceição do Coité e Oliveira dos Brejinhos.

O democrata narra que os bandeirantes chegaram à região no período do ciclo do ouro, ergueram uma capela em louvor a Nossa Senhora da Imaculada Conceição, a padroeira do município, e fundaram o Arraial de Coité. A partir de 1823, o arraial passou a sediar os poderes públicos, ter cartório e juizado próprio. Em 1832, ocorreu a emancipação da nova vila por meio do decreto imperial de 6 de julho daquele ano. Com isso, houve a mudança da sede, que passou a se chamar Macaúbas. Tavares conclui a moção afirmando que esta denominação deveu-se à abundância de uma espécie de palmeira, que os índios denominavam "macaúba" ou "macaíba".


Leia Também

Reportagens recentes:
2011 - 2020 @ Líder Notícias - O Seu Canal de Informação | Desenvolvedor :: @ vJPacheco