COVID-19

Ouça essa matéria

Sem provas de abuso de poder econômico ou compra de votos, promotor opina pela improcedência da ação de investigação de Acácio Teles contra Edimário Boaventura

27/11/2021




O promotor eleitoral Auro da Silva Rodrigues opinou pela improcedência da ação de investigação judicial eleitoral, ajuizada por Acácio Teles dos Santos e Manoel de Sousa Lima, em face dos candidatos Edimário José Boaventura e Elseclei Alves Sales, eleitos para os cargos de Prefeito e Vice-Prefeito de Mulungu do Morro/BA, nas Eleições 2020, além de Fredson Cosme de Andrade Souza, Prefeito do Município à época.

Segundo o parecer do promotor, os autores, sustentam que os réus teriam abusado do poder econômico e promovido captação ilícita de sufrágio (compras de votos) durante a campanha eleitoral, ao doarem diversos materiais de construção a eleitores do Município.

Edimário, Fredson e Elseclei negam ter praticado ou autorizado a prática das ilegalidades imputadas por Acácio, candidato derrotado nas eleições 2020.

Após ouvir testemunhas, segundo o parecer do promotor, constatou-se inexistir provas suficientes para alegar que os réus cometeram os crimes de compras de votos. Os vídeos foram gravados após iniciativa de Acácio Teles dos Santos e Manoel de Sousa Lima, na procura de testemunhas. Não há qualquer terceiro que tenha observado ou até mesmo tenha tido ciência da

entrega dos materiais descritos, o que demonstra que as provas são insuficientes para comprovar as alegações de captação ilícita de sufrágio (votos) e de abuso de poder econômico.

Os vídeos apresentados também não evidenciam nenhuma prática ilícita, não passando de ilação a assertiva de que os investigados teriam sido os autores das supostas doações.

Os investigantes tentaram comprovar os fatos articulados apresentando, exclusivamente, prova testemunhal singular. Os depoimentos colhidos mostraram-se inconsistentes e insubsistentes, uma vez que os fatos não foram presenciados por terceiros, nem foram confirmados por testemunhas referidas.Desta forma, o promotor opinou pela improcedência da ação.

Edimário disse receber com tranquilidade o parecer e mostrou confiança nas instituições judiciais de modo que tem convicção da sua inocência. “Infelizmente, o grupo do candidato Acácio não aceita os resultados das urnas e a confirmação de que fomos escolhidos pelo povo de Mulungu do Morro. Eles tentam de forma injuriosa, caluniosa e difamatória atentar contra a nossa honra. Estamos tranquilos e confiantes em provar a nossa inocência. Não tenho dúvidas que a população está ciente de que o intuito deles é somente tentar tumultuar a administração e o trabalho que vem sido realizado desde a gestão do ex-prefeito Fredson e que temos dado continuidade, com responsabilidade, probidade e compromisso. Não adianta tentarem subestimar a nossa população. A vontade de Deus e do povo tem sido feita”, diz Edimário.

Leia Também

Reportagens recentes:
2011 - 2020 @ Líder Notícias - O Seu Canal de Informação | Desenvolvedor :: @ vJPacheco