COVID-19

Click aqui e ouça a Irecê Líder FM, enquanto acompanha as noticias da sua cidade.

Ouça essa matéria

Video: Equipe de hospital que denunciou anestesista mostra como estupro foi filmado sem que médico percebesse

13/07/2022


Câmera foi deixada dentro de armário com vidro escuro por funcionários desconfiados do médico. Conteúdo do vídeo só foi visto depois do fim da cirurgia e, então, denunciado à polícia.

Equipe médica e de enfermagem do Hospital da Mulher Heloneida Studart de Vilar dos Teles, em São João de Meriti, contaram à Polícia Civil como conseguiram gravar o médico anestesista Giovanni Quintella Bezerra estuprando uma grávida durante uma cesariana na madrugada desta segunda-feira (11).

Giovanni foi preso em flagrante após ser filmado colocando o pênis na boca da paciente dopada. O vídeo serviu de prova para a prisão do anestesista. Ele foi indiciado por estupro de vulnerável, cuja pena varia de 8 a 15 anos de reclusão.

Segundo o relato das profissionais de saúde, o anestesista já tinha participado de outras duas cirurgias naquela noite, e as colegas de trabalho já estavam desconfiadas da postura do médico. Entre as suspeitas, estavam a forte dosagem de anestesia que ele aplicava nas gestantes e a preocupação exagerada com o local que ele ocupava durante o procedimento.

Umas das enfermeiras que trabalhavam com Giovanni também revelou que percebeu movimentos estranhos do anestesista em outras operações. As informações foram divulgadas pelo g1:

"Agora, ele tá com capote. Mas antes ele tava sem capote. Então dava pra ver movimentos", acrescentou uma das enfermeiras, ao explicar aos policiais como ele se comportava.

Já no parto da mulher vítima de estupro, a testemunha também contou ter notado que o anestesista estava posicionado na direção do pescoço e da cabeça da paciente, e que fazia movimentos lentos, pra frente e pra trás, e que, pela posição do braço, pareceu estar segurando a cabeça da paciente na direção da região pélvica dele.
Celular escondido gravou o crime

De acordo com as enfermeiras, o estupro praticado por Giovanni foi gravado por um celular. Em uma gravação obtida com exclusividade pelo RJ2, as profissionais de saúde revelaram como conseguiram desmascarar o criminoso.

O vídeo foi feito dentro do centro cirúrgico do Hospital da Mulher Heloneida Studart. Segundo as enfermeiras, o telefone celular foi colocado dentro de um armário que conta com uma porta de vidro escura. Pelo lado de fora, não é possível ver o interior do local.

Assista:



Fonte: Bnews

Leia Também

Reportagens recentes:
2011 - 2020 @ Líder Notícias - O Seu Canal de Informação | Desenvolvedor :: @ vJPacheco